Posts Tagged ‘Odebrecht Realizações’

Odebrecht Realizações mantém planos para 2012

quinta-feira, agosto 23rd, 2012

Chiara Quintão | De São Paulo
Valor Econômico - 23/08/2012

Num ano em que boa parte das incorporadoras de capital aberto está reduzindo suas operações, a Odebrecht Realizações Imobiliárias, empresa do grupo Odebrecht, mantém meta de lançar R$ 6,5 bilhões. O mercado não espera que os lançamentos de nenhuma incorporadora listada em bolsa cheguem a esse patamar em 2012. A PDG Realty, por exemplo, reduziu sua meta de lançamentos deste ano de R$ 8 bilhões a R$ 9 bilhões para de R$ 4 bilhões a R$ 5 bilhões.

Na avaliação do presidente da Odebrecht Realizações, Paul Altit, as perspectivas para o setor imobiliário são muito boas no médio e longo prazo. “O mercado está mais seletivo do que há um ano, mas nós somos super-seletivos.” Essa seletividade está presente, segundo ele, na definição dos projetos, na escolha de locais de atuação e no foco em projetos específicos.

O volume de lançamentos do primeiro semestre e as metas de vendas não são divulgados. O ritmo de comercialização está conforme o planejado, segundo Altit.

Em setembro, a Odebrecht Realizações lançará a primeira fase do Parque da Cidade, empreendimento misto a ser desenvolvido em terreno de 62 mil m2, onde funcionava a antiga fábrica da Monark, nas proximidades do MorumbiShopping, em São Paulo. Do Valor Geral de Vendas (VGV) total do projeto de R$ 4 bilhões, R$ 1,6 bilhão será lançado neste ano.

Este é o maior projeto urbano da Odebrecht e é um dos 18 do mundo que participam do Climate Positive Development Program, da C40, Fundação Clinton e do US Green Building Council.

A primeira fase terá duas torres de grandes lajes corporativas de padrão triple A, um edifício de saletas comerciais, um shopping center de vizinhança e um hotel, a serem entregues em até três anos. A taxa de vacância do segmento corporativo tem aumentado no mercado paulistano, e a tomada de decisão por potenciais ocupantes está mais lenta, mas a empresa aposta na demanda de médio e longo prazo decorrente do crescimento da economia.

As outras etapas incluem três torres corporativas e duas residenciais para média-alta e alta renda. O lançamento das torres residenciais ocorrerá, a partir de 2016.

A Odebrecht Realizações não divulga os investimentos totais estimados para o projeto, que levou um ano e quatro meses para ser aprovado e será desenvolvido em até dez anos. O terreno, incluindo impostos, custou cerca de R$ 290 milhões, e os Certificados Adicionais de Potencial Construtivo (Cepac), para erguer quatro vezes a área do terreno, R$ 250 milhões,

O financiamento à produção da primeira fase ainda não foi contratado. Nesta etapa, parte dos recursos das torres corporativas será originada de investidores nacionais, como fundos e family offices. O investidor que irá desenvolver o hotel em parceria com a Odebrecht Realizações será a Iron House, do grupo Cornélio Brennand.

Na Odebrecht Realizações, o formato de aportes de recursos é desenhado conforme especificidades de cada projeto. Segundo Altit, entre as possibilidades estão a participação de sócios nas Sociedades de Propósito Específico (SPEs) e a captação de recursos por certificados de recebíveis imobiliários (CRIs), letras de crédito imobiliário (LCIs) e fundos de investimento imobiliário (FIIs). “Estamos sob o guarda-chuva da Odebrecht. Temos a confiança em buscar soluções por projetos junto a bancos e investidores”, diz Altit.

No portfólio de lançamentos já realizados em 2012 ou previstos para o ano estão também projetos em cidades como Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Recife, Belo Horizonte e Santos. No segmento residencial, a Odebrecht está presente nos segmentos econômico e de média-alta renda, e a intenção é atuar também na média renda a partir de 2013 ou 2014.