Posts Tagged ‘vendas contratadas’

LPS Brasil atingiu a marca de R$3,5 bilhões em vendas contratadas, no 1T11, 37% acima do 1T10

terça-feira, maio 17th, 2011

Sendo R$2,8 bilhões no mercado primário.

São Paulo, Brasil - A Lopes - LPS Brasil (Bovespa: LPSB3) (Reuters: LPSB3.SA) (Bloomberg: LPSB3.BZ), empresa de soluções integradas de intermediação, consultoria e promoção de financiamentos de imóveis do Brasil, anunciou no dia 16 de maio (segunda-feira), seus resultados do 1T11.

Destaques para o CrediPronto!, que recebeu a primeira parcela do Earn-Out no valor de R$30,9 milhões no dia 11 de maio de 2011.

No 1T11, a LPS Brasil atingiu a marca de R$3,5 bilhões em vendas contratadas, 37% acima do 1T10 sendo R$2,8 bilhões no mercado primário.

A CrediPronto! financiou no primeiro trimestre de 2011 R$209 milhões, o que representou R$340 milhões em VGV. A originação acumulada já ultrapassou R$1 bilhão.

Em abril, o volume financiado ultrapassou a marca de R$100 milhões, nosso recorde até agora. A Companhia gerou R$77,4 milhões de Receita Líquida no 1T11, . 23% superior ao 1T10.

O Ebitda do 1T11 foi de R$28,4 milhões, 32% superior em relação ao 1T10. A Margem EBITDA do 1T11 atingiu 37%.

O Lucro líquido da LPS Brasil alcançou R$18,7 milhões no 1T11, 15% superior ao 1T10. O Lucro Líquido Após a Participação dos Minoritários foi de R$16,5 milhões.

A administração recomendará, em Assembleia Geral Extraordinária a ser convocada, o pagamento de Juros sobre o Capital Próprio, no valor de R$3,8 milhões.

Realização de três aquisições em 2011: Imobiliária Thá (Curitiba) e Erwin Maack (São Paulo) no 1T11 e AçãoDall’Oca (Brasília) no 2T11. [www.lopes.com.br/ri].

Portal Fator

O Globo: Cyrela precisa vender mais R900 mi para atingir meta

segunda-feira, dezembro 20th, 2010

Por Vivian Pereira

SÃO PAULO (Reuters) - A Cyrela Brazil Realty terá de contabilizar vendas contratadas de pelo menos 900 milhões de reais entre esta terça-feira e o último dia de dezembro para atingir o ponto mínimo da meta traçada para o fechado de 2010, de 6,2 bilhões a 6,9 bilhões de reais.

A construtora e incorporadora informou mais cedo que, até 13 de dezembro, as vendas contratadas somaram 5,3 bilhões de reais no acumulado do ano, equivalentes a 85 por cento do piso da meta prevista para 2010. No atual trimestre, até 13 de dezembro, as vendas foram de 1,669 bilhão de reais.

“O volume de vendas contratadas teria que aumentar mais 900 milhões de reais até o final do ano para atingir o ponto inferior do ‘guidance’, o que implicaria em velocidade de vendas de 37 por cento no período”, afirmou o analista Eduardo Silveira, da Fator Corretora.

O indicador de velocidade de vendas, que mede a relação de venda sobre oferta, foi de 24 por cento no quarto trimestre até segunda-feira.

“Vemos como provável que esta medida aumente com mais vendas ao longo dos últimos 15 dias do ano, porém não de forma suficiente para atingir o ‘guidance’”, ponderou o analista da Fator, acrescentando que, adicionalmente, se os atrasos nas entregas de obras continuarem, a rentabilidade da empresa pode ser afetada por pelo menos mais um trimestre.

Em 2011, a companhia planeja vender entre 7,6 bilhões e 8,4 bilhões de reais.

Em contrapartida, a Cyrela informou que atingiu a meta de lançamentos prevista para 2010, que era de 6,9 bilhões a 7,7 bilhões de reais.

No ano, a companhia alcançou lançamentos de 7,1 bilhões de reais até 13 de dezembro, sendo que 4 bilhões de reais foram contabilizados no trimestre corrente, segundo comunicado ao mercado.

De acordo com a Cyrela, 6,9 bilhões de reais já estão efetivamente lançados e 200 milhões de reais estão incorporados, ou seja, valor referente “a projetos que possuem todas as aprovações e registros necessários e terão suas vendas iniciadas nos próximos dias”.

No início de novembro, o vice-presidente financeiro da Cyrela, Luís Largman, disse em teleconferência que a empresa adotaria uma estratégia diferenciada em 2011 quanto a lançamentos, buscando evitar a repetição do cenário visto este ano, quando o ritmo menor que o esperado até setembro impactou os ganhos da companhia.

Para o ano que vem, a Cyrela tem como meta lançar entre 8,3 bilhões e 9,1 bilhões de reais.

As ações da companhia exibiam alta de 1,15 por cento às 16h21, cotadas a 21,12 reais, enquanto o Ibovespa cedia 0,38 por cento.